sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Foram criados depósitos em regiões isoladas que agora são fornecidos por camiões-pipa. Quando o açude seca, é esta a única fonte de água para a população. Em situações de emergência como a que se vive actualmente, a água fornecida não é sequer potável. É preciso deixar sedimentar, decantar, filtrar e tratar com cloro antes de beber.



Em anos normais, a chuva que cai no telhado é recolhida e levada até à cisterna por uma caleira.




Há quatro ano que não chove o suficiente e por isso a cisterna está agora cheia de água trazida pelo camião-pipa.





A água é trazida da cisterna para casa com um cântaro tradicional, que também é usado para decantar.





Em casa da Dona Gorete há dois filtros de cerâmica, tal como na casa onde me encontro hospedado em Fortaleza. Antes de se vulgarizar a utilização de garrafões de água de marca, utilizava-se este tipo de filtro em todo o lado. Infelizmente já só se encontra em zonas rurais.






quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Ceará, 11-11-2015 Visita a açudes ao redor de Quixeramobim. Estamos em pleno Sertão e temperatura mínima durante a noite é de 25 graus. A seca já dura há 4 anos. As aldeias da região, cuja densidade populacional é de mais de 25 habitantes por metro quadrado, são todas alimentadas por açudes. Os açudes secaram e agora só resto o carro-pipa. Os sertanejos podem mesmo assim gozar de uma qualidade de vida com que os seus pais nunca sonharam. Desde 1984 que o movimento sem terra tem conseguido assentar várias comunidades em terrenos privados não produtivos. A reforma agrária está em curso e tem um instituto público para tal, que expropria terrenos incultos. Durante o governo PT foram construídas escolas, postos de saúde pavilhões desportivos. Recentemente (nos últimos 5 anos) trouxeram luz e telefone a toda a gente. As casas têm micro-ondas, arca frigorífica e televisão. Coisa que os republicanos da Fox News há bem pouco tempo consideravam sinal de riqueza. Mas não é. As pessoas continuam pobres e a ter de viver em barracas. Simplesmente estão melhor do que estavam. A paisagem e dominada por Caatinga, uma mistura de árvores e arbustos que perde a folhagem durante o tempo seco. Quando chove rapidamente rebentam as folhas e o que era deserto passa a verde. No meio da secura encontram-se aqui e ali um pé de Juazeiro. O Juazeiro mantém uma verdura intensa no meio de todo a secura porque tem nas suas raízes uma espécie de tubérculo onde armazena água para vários meses. Ver uma árvore destas parece milagre. Mais tarde a Moringa, a associação de ciclistas urbanos de fortaleza (têm de ser malucos) e as estatégias usadas pela população para reaproveitar água.