quinta-feira, 25 de abril de 2013

ainda que andem por aí uns cartazes do 25 de abril II, normalmente com o "com jeito, vai", nada como atirar ao ar um 25 de abril sempre.

é estranha esta tendência: em 2001, foi a coligação psd/pp que mudou o nome ao 25 de abril, com a palavra de ordem abril é evolução. agora vem de qualquer coisa que diríamos estar na extrema esquerda, seja isso lá onde for.

é preocupante. tão preocupante quanto ouvir os militares a dizer que estão preparados para sair à rua. tenho  sempre algum receio de não saber o que vem atrás disso. é que a origem do 25 abril até foi, em história cortada às postas e mal atada, o 28 de maio.  

2 comentários:

Zé Miguel disse...

fica aqui registada a minha comemoracao em privado deste 25 de Abril de 2013. Por estas bandas onde eu moro há apenas um único feriado de carácter revolucionário: o dia da reforma. Todos os outros feriados sao religiosos ou de cariz institucional. Diz muito de um regime o facto da anexacao da alemanha de leste se celebrar no dia em que se assinou o tratado e nao na noite em que caiu o muro e o povo saiu à rua para comprar bananas.

Compare-se com o 25 de Abril, que para além de ter sido a grande revolucao que levou escola e saúde e seguranca social a muitos milhoes, foi também uma revolucao que nao ficou a dever nada a ninguém, cumpriu-se naquilo em que se devia cumprir, e aí se tem a verdadeira dimensao da efeméride. O povo nao saiu à rua para ir às compras ao oeste, ou sequer para reclamar liberdade económica. O povo saiu à rua para reclamar a verdadeira liberdade, daquela que distingue uma vida boa de uma vida má. O mercado livre que vá para o diabo! Uma revolucao a sério é o 25 de Abril. E além de ser uma, é a única que há.

sb disse...

nem mais.