domingo, 29 de julho de 2012

também na sequência do poste do zé, resta deixar aqui escrito - até porque isto tem estado parado - que olho em frente e o que vejo assusta-me. leio demasiadas vezes, demasiadas mesmo, postulados acerca da falência da democracia e de que foi ela que nos trouxe até aqui. pois bem, perante o susto do que vem, restar-me-ia uma vontade: que quem assim a trata se encontrasse com o fogo cruzado e lá ficasse. mas não posso ceder. querer isso, era começar desde já a afundá-la.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Só para o caso de mais tarde alguém tentar reescrever a história. De Itália chegam-nos rumores que o governo dos professores líderado por Monti poderá manter-se por mais uma legislatura, sem direito a eleições -- haveria o risco de ganhar um partido de esquerda, onde figuram menos economistas e, escândalo!, menos professores universitários. Desconfio que nos próximos tempos vamos ouvir a palavra "responsabilidade" mais vezes do que o costume. Na Alemanha, há um conselho de sábios economistas (tradução literal) para aconselhar a chancelaria. A tendência política que domina na agremiação é a estabilidade de preços e baixa inflação custe o que custar (e custa muito!).