domingo, 1 de abril de 2012

e passo a explicar. Aqui há dias falava-se de um golpe de estado e tudo, já circulavam tanques em Pequim, tudo boatos. Na imprensa nada. Já ninguém está à espera de saber coisa alguma através da imprensa... E no entanto isto funciona. Os comboios andam a horas, os aviões aterram em segurança, a internet funciona (tirando o blogger, claro), come-se bem.

E da imprensa portuguesa, o que se pode dizer? A RAI 3 transmitia há dias um documentário que seria impensável ver na RTP (postei-o no facebook, outro que é inacessível daqui do burgo, mas eu tenho uns truques).

Num outro mundo, falava-se do Kony e de como o jovem que o fez famoso corria nu pelas ruas de San Diego. E de como o Ugandês comum se estava a borrifar para tal e para o respectivo panfleto. Disseram que já vinha tarde, que o Kony já nem morava ali. Teria sido tudo uma chalaça para o creative class (de novo a new media à mistura) ganhar umas massas.

Todo o crédito a tal teoria, mas há qualquer coisa nisto tudo que me cheira a podre. E não é nada tangível como os chineses ou o Kony ou a RAI 3. São os média (em geral como em particular, que bonito, não é?). É toda esta facilidade de espalhar boatos e campanhas com criancinhas aleijadas. E o ninguém filtrar, só uns likes acríticos. Gostar, gostar pode qualquer um.

Será que o Walter Benjamin tem alguma coisa sobre o assunto? Dava jeito, o homem está tão na moda!

2 comentários:

Zé Miguel disse...

ó, e não é que agora o youtube já
funciona! o fundamentalista, subversivo youtube, onde os paizinhos celebram as proezas dos seus filhotes: um perigo!

sb disse...

eh pá, estás em portugal e não dizias nada?!? :D

(já do benjamin posso dizer-te que não sei se escreveu alguma coisa sobre o assunto - as únicas modas de que gosto são as matemáticas, aquelas que demonstram, sei lá, quanto os portugueses recebem em média por mês ou ano de trabalho - mas garantir-te-ia duas coisas: não escreveu directamente sobre o assunto mas alguém já afirmou que sim. é a fantasmagoria, noutra acepção da palavra)