quarta-feira, 9 de novembro de 2011

notas para a narrativa maior - um xanax, por favor

a arte é a materialização do fugaz. o desenho baseia-se na perda.

é um grande passo, este. o da memória para a perda.

3 comentários:

Anónimo disse...

isso pressupõe que a arte cria necessariamente memória, o que não tem sido verdade ao longo dos tempos. foi-o por vezes, noutra foi formalizada utilitariamente (deixará de ser arte por isso), e como tal sem posteridade.

sb disse...

ora, o querido anónimo chegou precisamente ao que aí estava posto.

o querido anónimo é um interlocutor de valor.

rogamos ao querido anónimo que continue a sua contribuição.

Anónimo disse...

esqueci-me de um ponto e interrogação essencial:

"deixará de ser arte por isso?"