quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Ouvi falar do protesto da geração à rasca, através dessa plataforma a que somos obrigados agora a comparecer, que é o facebook.

Já tinha pensado nisso, porque bem cedo nos tempos de faculdade vi que um dia mais tarde...me iria ver à rasca.

Na minha humilde opinião de pessoa com paizinhos medianamente abonados, um dos problemas foi que os nossos pais, há uma ou duas décadas atrás, para terem sucesso nos seus escritórios e atelieres, arranjaram estagiários. Porém, para terem sucesso nas suas famílias (as poderem levar de férias e passear no carro grande) tiveram que fazer contas à bolsa e criaram esta moda de não pagar aos estagiários. Faziam-nos acreditar de que estavam a começar por baixo, para um dia chegarem ao topo. A moda entretanto pegou.

Ora a geração dos meus (filhos dos tais pais) foi depois viajar e estudar para fora, aculturar-se, aprender novas línguas, estender os horizontes. Viu muito e gostou de tudo. Quando um dia quis voltar, percebeu que não podia. Os chefes eram os paizinhos que chefiavam tudo com um olho no seu ofício e duas mãos nas suas contas bancárias.

E isto é a história dos meninos privilegiados, porque dos outros nem consigo falar.

2 comentários:

Anónimo disse...

isso não é um problema de geração. é um problema de classe.

Zé Miguel disse...

uns sao filhos e outros enteados, parafraseando um autor.

os pais q n tem estagiarios tb estao chateados. imagina os filhos