quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

e como não podia deixar de ser, até deixaria uma nota sobre a recente moção de censura de Francisco Louçã (torna-se, agora e depois das demissões no Bloco, tão óbvio fulanizar o BE em Louçã como o o foi Fulanizar o PS em Sócrates). Mas não vale a pena juntar-me às bofetadas que já cairam de todos os lados, esquerda, direita, liberais, conservadores, os de fora e os de dentro. de qualquer forma, se sabendo-se como tudo começou, também não admira.

Sem comentários: