terça-feira, 7 de julho de 2009

este post sai directamente de um momento de paralisia momentânea de um estupor que se decidiu, vá-se lá saber porquê, a descobrir, afirmar e confirmar, sem saber peva do assunto, o romantismo de Domingos Sequeiro. Romantismo tomado como deve ser, como tenebroso, horroroso, no sublime como também ele deve ser, tenebroso e horroso e outros osos que agora não ouso. Resta dizer que este tenebroso, horroroso só valorizam o romantismo e, portanto, só valorizam o Sequeira já de si valoroso e sem necessidade de ser valorizado.

ocorreu-se-me-te-lhe que, vá-se lá saber porquê e rai's-qu'o-partam, desejar:

LONGA VIDA AO ESCROTÍNIO!

de tão sumidito só lhe fazia bem o lacticínio.

um abraço e um beijo camaradas e camaroas!

Sem comentários: