terça-feira, 2 de dezembro de 2008

aí vem a pedrada no charco

(lápis azul)

2 comentários:

ze das couves (galegas! que o pacato cidadao portugues nem sabe a riqueza que tem 'a mesa. Tanto nutriente, tanto sabor!) disse...

e agora o que resta? ja nem bolseiros ha', tudo e' desprezo pela arte, as elites ja nao governam nem tem poder para mandar quem quer que seja para paris embriagar-se. Poder-se-ia dizer que e' a democratizacao da arte, a sua massificacao, mas nao e'. A academia esta' podre, tal como esta cadeira (esta' mesmo!)

Anónimo disse...

ninguem me ouviu! a couve galega, em algumas regioes dita "de natal", e' um hino 'a nossa querida patria! quanta saudade da couve galega, o seu caule longo e gasto no quintal de toda a casa que se preze! oh verdura! oh ingrediente primeiro da nossa gastronomia! Oh!